myspace layouts, myspace codes, glitter graphics
Segunda-feira, 16 de Abril de 2007

Poesia

Se todo o ser ao vento abandonamos
E sem medo nem dó nos destruímos,
Se morremos em tudo o que sentimos
E podemos cantar, é porque estamos
Nus em sangue, embalando a própria dor
Em frente às madrugadas do amor.
Quando a manhã brilhar refloriremos
E a alma possuirá esse esplendor
Prometido nas formas que perdemos.


Aqui, deposta enfim a minha imagem,
Tudo o que é jogo e tudo o que é passagem.
No interior das coisas canto nua.



Aqui livre sou eu — eco da lua
E dos jardins, os gestos recebidos
E o tumulto dos gestos pressentidos
Aqui sou eu em tudo quanto amei.


Não pelo meu ser que só atravessei,
Não pelo meu rumor que só perdi,
Não pelos incertos atos que vivi,


Mas por tudo de quanto ressoei
E em cujo amor de amor me eternizei.

 

 

Sophia de Mello Breyner Andresen

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 17:25
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quinta-feira, 12 de Abril de 2007

Nuvens correndo num rio

Nuvens correndo num rio
Quem sabe onde vão parar?
Fantasma do meu navio
Não corras, vai devagar!

Vais por caminhos de bruma
Que são caminhos de olvido.
Não queiras, ó meu navio,
Ser um navio perdido.

Sonhos içados ao vento
Querem estrelas varejar!
Velas do meu pensamento
Aonde me quereis levar?

Não corras, ó meu navio
Navega mais devagar,
Que nuvens correndo em rio,
Quem sabe onde vão parar?

Que este destino em que venho
É uma troça tão triste;
Um navio que não tenho
Num rio que não existe.


                      Natália Correia

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 16:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 10 de Abril de 2007

Vaidade

Sonho que sou a Poetisa eleita,
Aquela que diz tudo e tudo sabe,
Que tem a inspiração pura e perfeita,
Que reúne num verso a imensidade!

Sonho que um verso meu tem claridade
Para encher o mundo! E que deleita
Mesmo aqueles que morrem de saudade!
Mesmo os de alma profunda e insatisfeita!

Sonho que sou Alguém cá neste mundo...
Aquela de saber vasto e profundo,
Aos pés de quem a Terra anda curvada!

E quando mais no céu eu vou sonhando,
E quando mais no alto ando voando,
Acordo do meu sonho... E não sou nada!...


                                Florbela Espanca

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 18:23
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 8 de Março de 2007

O NOSSO dia!

Hoje, por ser o dia internacional da MULHER, não vou publicar um poema...vou sim deixar aqui um grande abraço a todas as mulheres do mundo e um bem hajam por todas as suas bem aventuranças!

Ser MULHER é, de facto, motivo de muito orgulho!

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 18:14
link do post | comentar | ver comentários (10) | favorito
Segunda-feira, 5 de Março de 2007

Fiz um conto para me embalar

Fiz com as fadas uma aliança.
A deste conto nunca contar.
Mas como ainda sou criança
Quero a mim própria embalar.

Estavam na praia três donzelas
Como três laranjas num pomar.
Nenhuma sabia para qual delas
Cantava o príncipe do mar.

Rosas fatais, as três donzelas
A mão de espuma as desfolhou.
Nenhum soube para qual delas
O príncipe do mar cantou.


                   Natália Correia

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 17:23
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 2 de Março de 2007

Tortura

Tirar dentro do peito a Emoção,
A lúcida verdade, o Sentimento!
-- E ser, depois de vir do coração,
Um punhado de cinza esparso ao vento!...

Sonhar um verso de alto pensamento,
E puro como um ritmo de oração!
-- E ser, depois de vir do coração,
O pó, o nada, o sonho dum momento...

São assim ocos, rudes, os meus versos:
Rimas perdidas, vendavais dispersos,
Com que eu iludo os outros, com que minto!

Quem me dera encontrar o verso puro,
O verso altivo e forte, estranho e duro,
Que dissesse, a chorar, isto que sinto!!

                            Florbela Espanca

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 18:39
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 28 de Fevereiro de 2007

Para sempre...mulher! Para sempre...Amália!

FADO DO CIÚME

Se não esqueceste
O amor que me dedicaste,
E o que escreveste
Nas cartas que me mandaste,
Esquece o passado
E volta para meu lado,
Porque já estás perdoado
De tudo o que me chamaste.

Volta meu querido,
Mas volta como disseste,
Arrependido
De tudo o que me fizeste,
Haja o que houver
Já basta p'ra teu castigo
Essa mulher
Que andava agora contigo.

Se é contrafeito
Não voltes, toma cautela
Porque eu aceito
Que vivas antes com ela
Pois podes crer
Que antes prefiro morrer
Do que contigo viver
Sabendo que gostas dela.

Só o que eu te peço
É uma recordação,
Se é que mereço
Um pouco de compaixão,
Deixa ficar
O teu retrato comigo,
P'ra eu julgar
Que ainda vivo contigo

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 17:00
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 26 de Fevereiro de 2007

Auto-retrato

 

Espáduas brancas palpitantes:
asas no exílio dum corpo.
Os braços calhas cintilantes
para o comboio da alma.
E os olhos emigrantes
no navio da pálpebra
encalhado em renúncia ou cobardia.
Por vezes fêmea. Por vezes monja.
Conforme a noite. Conforme o dia.
Molusco. Esponja
embebida num filtro de magia.
Aranha de ouro
presa na teia dos seus ardis.
E aos pés um coração de louça
quebrado em jogos infantis.


                      Natália Correia

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 17:22
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sábado, 24 de Fevereiro de 2007

Charneca em flor

Enche o meu peito, num encanto mago,
O frémito das coisas dolorosas...
Sob as urzes queimadas nascem rosas...
Nos meus olhos as lágrimas apago...

Anseio! Asas abertas! O que trago
Em mim? Eu oiço bocas silenciosas
Murmurar-me as palavras misteriosas
Que perturbam meu ser como um afago!

E, nesta febre ansiosa que me invade,
Dispo a minha mortalha, o meu bruel,
E já não sou, Amor, Soror Saudade...

Olhos a arder em êxtases de amor,
Boca a saber a sol, a fruto, a mel:
Sou a charneca rude a abrir em flor!

                              Florbela Espanca

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 15:58
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Sexta-feira, 23 de Fevereiro de 2007

ORQUÍDEA

Exótica e esplendorosa,
a orquídea é flor bizarra
que nos deixa intimidados.
Porque é que a mãe natureza
pôs nela tantos cuidados? 

É linda como as mais lindas
mas não é nada modesta:
sabe ser a preferida
para uma noite de festa? 

Mas as outras flores singelas,
sendo acaso menos belas,
não precisam ter ciúme. 

Que afinal a natureza,
se às orquídeas deu beleza,
retirou-lhes o perfume.

(Rosa Lobato Faria)

sinto-me:
tags: ,
publicado por picarota310172 às 15:30
link do post | comentar | ver comentários (6) | favorito
Myspace, Myspace Graphics, Myspace Backgrounds
myspace layouts, myspace codes, glitter graphics

.Abril 2007

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
13
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
myspace layouts, myspace codes, glitter graphics
myspace layouts, myspace codes, glitter graphics
myspace layouts, myspace codes, glitter graphics

.posts recentes

. Poesia

. Nuvens correndo num rio

. Vaidade

. O NOSSO dia!

. Fiz um conto para me emba...

. Tortura

. Para sempre...mulher! Par...

. Auto-retrato

. Charneca em flor

. ORQUÍDEA